Fantasmas da ditadura: a representação da memória dos mortos na literatura brasileira contemporânea

Na produção de narrativas literárias contemporânea, figuras de fantasmas tem sido utilizadas para representar episódios traumáticos da memória coletiva nacional. Neste minicurso, estudaremos o recurso a personagens fantasmagóricas para dar voz a presos políticos mortos durante a ditadura, a partir, principalmente, da leitura de “Prova contrária” (2004), de Fernando Bonassi.

Ministrado por Cilza Bignotto (UFOP)

28 de abril, 9h30 -13h.

Vagas: 25

Inscreva-se.

Universidade Federal de Ouro Preto