Temporalidade, Historicidade e Giro Ético-Político

Tematizaremos, num primeiro momento, os problemas da história e do tempo (da temporalidade), ou seja, quais são as condições de determinação para que a história ou o tempo se sedimente e se rearticule, pensando, em especial, o papel do homem neste movimento, e isto a partir de autores como Nietzsche, Heidegger, Benjamin, Derrida, Judith Butler e Gumbrecht. 
Num segundo momento, discutiremos a história ou o tempo (temporalidade) hoje, ou seja, quais são as principais determinações de nosso tempo e o que tornaria possível o que estamos chamando de uma rearticulação temporal ou de nosso horizonte.
Ao fim, trataremos do motivo mesmo que nos leva à esta tematização, a saber, o que temos chamado de giro ético-político, ou ainda e em linhas gerais, a tendência no interior das humanidades em geral de que o pensamento também se dedique – para além das especificidades de cada disciplina – à tematização e compreensão do mundo contemporâneo, e isto ético-politicamente orientado.  
Ministrado por Marcelo Rangel (UFOP)
27 de abril, 9h30 -13h.
Vagas: 25

Universidade Federal de Ouro Preto